Alimentos Termogênicos

O que são alimentos termogênicos?

 

Alimentos termogênicos são aqueles que apresentam um maior nível de dificuldade em ser digeridos pelo organismo, fazendo com que esse consuma maior quantidade de energia e caloria para realizar a digestão. Todos os alimentos gastam energia para serem digeridos, ou seja, têm a capacidade de aumentar a temperatura corporal e acelerar o metabolismo, aumentando a queima de gordura, porém existem alguns que se destacam mais que os outros, pois induzem o metabolismo a trabalhar com ritmo acelerado, gastando assim, mais calorias.
 
Por serem alimentos que aceleram o metabolismo e aumentam a nossa temperatura corporal. Estes alimentos, pelas suas propriedades, obrigam o nosso organismo a gastar mais energia quando do processo de digestão, que resulta na queima de calorias  ao longo do dia, inclusivé durante o descando, que se traduz na perda de peso.
 
O que se sabe é que esses alimentos são responsáveis por cerca de 10% do gasto total de energia, por isso consumir os termogênicos pode fazer uma pessoa eliminar de 2 a 10 kg em três meses. 
 
São também alimentos indicados para quem pratica exercício físico, e pretenda aumentar a resistência aeróbica durante os treinos, pois melhoram o desempenho, reduzem a massa de gordura corporal queimando de forma eficaz as calorias, proporcionando uma melhor definição muscular.
 
Vale ressaltar que o consumo desses alimentos não deve ser feito no período noturno para não prejudicar o sono. Além disso, sabe-se que a quantidade de cada alimento é individual e deve ser feita sob orientação profissional.
 
O exagero no consumo desses alimentos pode levar ao surgimento de sintomas como dor de cabeça, tontura, insônia e problemas gastrointestinais. Quem tem hipertensão e problemas cardíacos deve ter cuidados redobrados, pois alguns desses alimentos fazem o coração trabalhar mais rápido. Por causa da influência sobre o metabolismo, os termogênicos não devem ser ingeridos por quem sofre de problemas na tireóide.
 
Exemplos dos principais benefícios destes alimentos:
 
Aceleram o metabolismo;
Queimam a gordura corporal;
Auxiliam no emagrecimento;
Melhoram a circulação sanguínea;
Previnem contra o cancro do cólon e do ovário;
Auxiliam no tratamento de gripes;
Estimulam a digestão;
Eliminam os gases;
 
Existe uma enorme variedade de alimentos termogênicos. Vejam abaixo alguns dos principais que podem auxiliar no combate ao excesso de peso: 
 
Algas:
Algumas algas, como a Chlorella, são potentes “ queimadores de gordura”, além de serem ricas em vitaminas e minerais. 
Quantidade: 2 colheres de sopa em dias alternados
 
Água gelada:
Ao consumir água gelada, o organismo necessita de mais energia para elevar a temperatura para 37ºC, e com isso “gasta” mais calorias.
Quantidade: 8 copos por dia de água em temperatura inferior a 16ºC
 
Pimenta-Caiena (pimenta-vermelha):
Estudo realizado no Instituto Politécnico de Oxford (EUA) mostrou que a pimenta aumenta o metabolismo em 20% e evidencia sua propriedade de retirar gorduras das artérias. 
Quantidade: 3 g, 2 vezes ao dia.
 
Gengibre: 
Trabalho feito na China apontou o aumento do metabolismo em 20% com seu consumo freqüente. Pode ser usado cru, refogado ou em forma de chá. Outra opção é bater no liquidificador com aipo, laranja, maçã ou qualquer outra fruta. 
Quantidade: 1 pedaço de 2 cm, até 3 vezes ao dia.
 
Chá Verde: 
Reduz a absorção do açúcar no sangue, inibindo a ação da amilase (enzima responsável pela digestão dos carboidratos), além de favorecer o trânsito intestinal e acelerar o funcionamento do metabolismo. 
Quantidade: 1 xícara de chá de 5 a 10 minutos antes das refeições, diariamente.
 
Vinagre de Maçã: 
1 ½ colher de chá num copo de água morna ajuda a diminuir a circunferência abdominal em 2,5 cm em dois meses.
Quantidade: 2 vezes ao dia, uma de manhã e durante uma das refeições. Atenção: o vinagre não pode ser refinado. 
 
Soja:
Grão contém lisina e arginina, substâncias que estimulam a produção de um hormônio chamado glucagon, que tem ação térmica.
Quantidade: 3 colheres de sopa por dia.
 
Alimentos ricos em Ómega 3 
Estes alimentos aumentam o metabolismo, queimam calorias e eliminam o excesso de líquido no corpo. O Ômega 3 está presente por exemplo, em peixes como a sardinha, o salmão, e o atum, e também nas sementes de linhaça.
Quantidade: misturar duas colheres de sopa a vitaminas, salada de frutas, saladas etc
 
Canela:
É um excelente antioxidante, que previne contra os danos causados pelos radicais livres, ou seja o envelhecimento e danos nas células, favorecendo todo o nosso organismo, e a nossa aparência externa, já que evita o envelhecimento precoce.
Quantidade: Uma grama duas vezes ao dia, na forma de chá, polvilhada em sopas ou preparada com queijo, gratinada no forno ou polvilhada em frutas como maçã ou banana.
 

 

Alimentos Orgânicos

 
O que são Produtos Orgânicos?
 
Produto orgânico é um alimento sadio, limpo, cultivado sem agrotóxicos e sem fertilizantes químicos. 
Eles provêm de sistemas agrícolas baseados em processos naturais, que não agridem a natureza e mantêm a vida do solo intacta.
 
Um produto orgânico é muito mais que um produto sem agrotóxicos e sem aditivos químicos. É o resultado de um sistema de produção agrícola que busca manejar de forma equilibrada o solo e demais recursos naturais (água, plantas, animais, insetos, etc.), conservando-os a longo prazo e mantendo a harmonia desses elementos entre si e com os seres humanos.
 
A produção orgânica obedece normas rígidas de certificação que exigem, além da não utilização de agrotóxicos e drogas venenosas, cuidados elementares com a conservação e preservação de recursos naturais e condições adequadas de trabalho.
 
 
Carne Orgânica e ovos orgânicos
 
No tocante à produção carnes e ovos, os animais são criados sem a aplicação de antibóticos, hormônios e anabolizantes. Pesquisas demonstram que estes produtos podem provocar doenças nos seres humanos, quando consumidos por muito tempo. Logo, as carnes e ovos orgânicos são muito mais saudáveis.
 
 
Quais os Motivos para consumir produtos orgânicos
 
1 - Proteger as futuras gerações;
2 - Prevenir a erosão do solo;
3 - Proteger a qualidade da água;
4 - Rejeitar alimentos com agrotóxicos;
5 - Melhorar a saúde dos agricultores;
6 - Apoiar e aumentar a renda dos pequenos agricultores (agricultura familiar, comércio justo);
7 - Prevenir gastos futuros;
8 - Promover a biodiversidade;
9 - Descobrir sabores naturais.
10 - Contribuir para acabar com envenenamento por pesticidas de milhares de agricultores;
11 - Ajuda a preservar pequenas propriedades;
12 - Ajuda a nossa saúde.
 
 
O alimento orgânico é mais saudável ?
 
Sim. Os produtos orgânicos crescem sem pesticidas e fertilizantes químicos sintetizados artificialmente. Muitas pessoas possuem hábitos de descascar frutas e legumes para o preparo e consumo, devido à possibilidade de ingestão de pesticidas presentes em sua casca. Escolhendo os produtos orgânicos, o consumidor usufrui na totalidade as frutas e vegetais sem a preocupação com o consumo de pesticidas.
 
Além disso, o alimento orgânico é mais nutritivo pois normalmente possuem menor teor de água em sua composição, quando comparado com os alimentos convencionais (aproximadamente 20% menos). Isto significa que os nutrientes estão mais concentrados. Assim como o conteúdo de açúcar, motivo do sabor mais adocicado dos vegetais orgânicos. Produções orgânicas tendem a ter maiores níveis de vitaminas, como em tomates orgânicos, que contêm 23% mais vitamina A do que os convencionais.
 
 
Benefícios para a saúde
 
Pesquisas e estudos realizados pelos mais importantes órgãos nutricionais e agrícolas do mundo confirmam que o alimento orgânico é mais nutritivo do que o alimento convencional. Segundo o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), os alimentos de origem orgânica apresentam 63% a mais de cálcio, 73% a mais de ferro, 118% a mais de magnésio, 91% a mais de fósforo, 125% a mais de potássio e 60% a mais de zinco, todas vitaminas essenciais para o desenvolvimento e a manutenção da saúde.
 
O mesmo estudo também aponta para benefícios no tratamento de doenças, como na prevenção do câncer, já que os alimentos orgânicos também têm como característica serem muito mais anti-oxidantes que os convencionais. Uma sopa feita com vegetais orgânicos, por exemplo, contém seis vezes mais ácido salicílico (componente produzido naturalmente pelas plantas como um componente protetor contra estresse e doenças) do que as sopas de vegetais não-orgânicos.
 
 
Principais Cuidados
 
Os cuidados de higiene com a comida orgânica em nada diferem dos exigidos na utilização de produtos não orgânicos. O único cuidado extra é que os produtos industrializados orgânicos, que não utilizam conservantes, têm uma durabilidade menor.
Como qualquer alimento vegetal, os orgânicos devem ser conservados em saquinhos, na parte mais baixa da geladeira, para não ressecar. 
Verifique também se o alimento apresenta selo de certificação.
 
 
Selo de Certificação
 
Não é somente a não utilização de agrotóxicos que define se um produto é ou não orgânico. Para ter o certificado que garante o título, produtores devem se enquadrar em mais de 50 normas diferentes de produção e comercialização, incluindo armazenamento, rotulagem, transporte e fiscalização. Entre as exigências estão a preservação da diversidade biológica dos ecossistemas, o manejo correto de resíduos, o emprego de processos que incrementem a fertilidade do solo e a inclusão de práticas sustentáveis. O certificado de orgânico passou a ser um selo único em todo o país, o Sistema Brasileiro de Avaliação de Conformidade Orgânica (Sisorg).
 
 
Desvantagem: 
 
A única desvantagem é que são mais caros do que os convencionais, pois são produzidos em menor escala e os custos de produção também são maiores.