Publicações Novembro 2015 - Por Luiz Ribeiro

08/11/2015 11:58

25/11/15

O estado mental caracterizado pela euforia da conquista reflete o desejo maior de achar a tal agulha no palheiro ou de encontrar um porco no meio do caminho. Tal-qualmente, a frustração de se tirar o doce de uma criança é a mesma de quebrar o cofrinho e encontrar apenas moedas de 0,10 centavos. Levar os fatos às últimas consequências pode até gerar indenização mas não servirá de base para proteger o presente do seu amigo oculto nem para tornar lúcida todas perguntas.

 

24/11/15

Viver no limite do desconhecido e dormir pouco demonstra a capacidade motora de atingir a esfera circunstancial saciada pelo gole d'água ou por bater a cabeça no banco da frente. Embora o acaso tenha sido importante para que Lucy fosse descoberto no ano do seu nascimento, nada faz mais sentido do que atravessar na frente do ônibus e tirar selfie da passarela atrás de você só para aparecer no RJ TV.

 

23/11/15

Escolher a insensatez dos casos previstos na história das civilizações, sobretudo e pelo fato de que as normas reguladoras dos direitos fundamentais possuem aspectos relacionados às estruturas do poder, não podem ser instrumentos usados pelos enraizados culturais. Se o dever de todos é lutar por uma sociedade digna, não importa em que lado da Mesopotâmia você vai ficar nem de qual paleomnésia usar, mas sim quais atitudes tomará para provocar as mudanças necessárias a fim de permitir que as futuras gerações possam ouvir o galo cantar quando a alvorada chegar.

 

21/11/15

O mecanismo de satisfação comportamental das reações psiquico-sociais está intimamente ligada à vulnerabilidade das ações mescladas do esforço geométrico de concluir a curva tangente de círculos sobrepostos. A questão não é somente de decifrar o código genético de cada ação, mas de entender que o enunciado do problema é, em muitos casos, mais importante que acertar uma bola vencedora.

 

19/11/15

O paralelismo entre o som do rádio e a conversa de fundo denota o tom da explicação momentânea para os distúrbios congruentes que ocorrem entre duas tribos, separadas apenas pela distância do ano de 1965. Não é apenas a questão de ficar petrificado com o fato, a ponto de não perceber o que ocorre entre o mundo de sonhos e o da realidade sensorial e esquecer que pagar o motel com cartão de crédito pode se tornar a pista principal para qualquer escritor escrever um romance policial.

 

18/11/15

Não importa saber que a língua é um instrumento de comunicação mas descobrir que tomar café quente pode queimá-la, só faz sentido quando você passa um cheque de R$ 5,00 para viajar em pé. A verdade é que o desespero não é motivo para tomar de assalto e que nem sempre rir alto é o melhor remédio para a dor de cabeça.

 

17/11/15

Quando tentamos destacar uma nova forma de mediar os acontecimentos passageiros nos lembramos que a passagem delimitada entre a porta que define o ser humano do bicho é o mesmo que descreve o prazer de ver um jacaré tomando banho de piscina. Isso é, sobretudo, a sequência mórbida dos fatos que deixam perplexos os viajantes de cada caravana de ovelhas.

 

16/11/15

Explicar que cão não é gato, da mesma forma que terrorismo não é estado de paz é como consultar o manual de instalação em mandarim e postar a mensagem de aniversário no grupo errado. Não adianta tentar se fazer entender, o que importa é saber que a exceção é a regra da lei e que happy birthday não é feliz natal.

 

13/11/15

O fato das novas gerações descobrirem que a forma de expressar suas inquietudes é se convencer de que não adianta esperar pelo semáforo aberto mas sim, acumular a energia gasta em cada passo é usá-la para carregar seu iphone. Não adianta esperar a chuva passar para buscar um abrigo ao sol, o jeito é correr até a próxima esquina, sentar no bar e aguardar o programa do jô.

 

12/11/15

Questionar o inquestionável, entender o que não faz sentido, procurar as sombras das árvores quando faz calor e beber suco de clorofila tudo isso faz parte do conjunto de instrumentos sensoriais, que juntamente com a força da lavagem cerebral propagada pelos meios de telecomunicação, carregam as minúsculas partículas motoras das células nervosas levando ao êxtase profundo de entrar em estado alfa e se desconectar do mundo real.

 

11/11/15

A misossofia deferida pelos ocupantes das cadeiras do mar de lama, assim como, os defensores daqueles que levantam a ponta da cauda das vestes pontifícias revelam que as características feudais dos celeiros que cultivam o mártir da alimentação humana são, na sua estrutura, os mesmos que reverenciam o verdadeiro julgo para àqueles que sinalizam a destruição da lua de Marte.

 

10/11/15

A dúvida gerada entre subir uma escada rolante ou virar a direita e da escolha entre o trident de menta ou o sorvete de chocolate belga, provocada pela influência da força propulsora dos mecanismos sensoriais, estabelece, de tal forma, que o cavalgar dos parasitas situados nas peles dos cordeiros são, na verdade, os distúrbios transeuntes da vida animal. A possibilidade de se substituir o filtro da ambição está intimamente ligada ao antagônico devaneio de buscar a escolha certa dentre as alternativas erradas.

 

09/11/15

Toda escolha, por mais simples que seja, tem sua decisão vinculada ao desejo oculto de encontrar a posição exata do ponto da curva onde as revelações serão descobertas. Entretanto, não se pode negar o poder sobrenatural das coincidências que derrubam qualquer muro formador de paredes que te prendem às correntes do abstrato.

 

08/11/15

A falta de uma grande experiência totalmente inovadora no conceito das múltiplas vivências do passado limita o surgimento das asas que revelam a vontade de voar. Desse modo, provocar o destino das coisas, sem mergulhar nas fontes que levam à juventude, coloca um peso nas profundezas interior do abismo dos sonhos.

 

07/11/15

Conhecer as lamparinas do juízo é o meio mais adequado de se tornar escravo da suprema intelectualidade difundida entre os cardumes da sociedade que ridicularizam as próprias mazelas da norma culta. Outrossim, dizer que uma andorinha só não faz a estação mais quente do ano, mas que duas podem sujar qualquer lona de circo, conduz a um termo genérico entre o sabor da castanha do Pará e o chá de erva mate.

 

05/11/15

Você percebe que está vivendo num presídio sem grades quando começa a se sufocar com o próprio ar que respira.

 

04/11/15

Voltar atrás na procura do caminho a frente e comer um bolo meio estragado termina provocando uma mudança na busca da palavra certa para o entendimento que leva à paz. É como escrever Hollanda e achar que a Europa fica do outro lado da calçada. 

 

03/11/15

Não porque a segunda é depois de domingo e antes de terça, que o poder supremo das forças subocultas que impedem a passagem entre o bem e um novo despertar pode levar o ser humano a desmerecer o símbolo do Gigante que carregamos no peito. 

 

02/11/15

A liberdade deve ser encarada como o mais puro nirvana. Nesse contexto, não são os detalhes do processo de maturidade que irão provocar as mudanças necessárias na disputa do campeonato da vida, mas sim os imbróglios tortuosos que passamos para conquistar um lugar na tão sonhada felicidade.

 

01/11/15

A inspiração não é uma fortaleza de publicações. Sobre ela incidem o som de baterias e o sabor amargo e adocicado do cacau. Saber o que não fazer é, sobretudo, observar e copiar as fontes mágicas de companheiros ilustres.