Procon-RJ encontra 264 kg de alimentos impróprios em restaurantes à quilo no Centro do Rio

19/08/2013 17:31

 

Liberta_Restaurante_02b_1376951757.49.jpg

Na primeira ação da Operação PF (Prato Feito), realizada nesta segunda-feira, 19 de agosto, pela Secretaria do Estado de Proteção de Defesa do Consumidor (Seprocon), por meio do Procon-RJ, foram recolhidos mais de 264 kg de alimentos, entre vencidos, mal acondicionados e sem data de validade identificada. A Operação fiscalizou 21 restaurantes à quilo no Centro do Rio de Janeiro.
 

No Graça Aranha Gourmet, na Avenida Graça Aranha, foram recolhidos e inutilizados 57 kg de alimentos. No Kilo Express e no Nitgrama, ambos na Rua Santa Luiza, foram mais de 40 kg. No Graça Aranha Gourmet havia 57 kg de alimentos, entre carnes, frango e queijo, sem a data de vencimento. No Nitgrama foram encontrados 46 kg e 500g de produtos que estavam sem a data de validade. Entre eles havia frango, contra filé e anchova. No Kilo Express foram 43kg e 300g de produtos sem o prazo de vencimento. Os produtos recolhidos em maior quantidade foram carne seca, carne picadinha e arroz. No Kilo Express também havia vários legumes cortados guardados no chão em bacias.

"O desprezo de alguns restaurantes com os clientes no Rio é gritante. Parece que não se preocupam com a saúde dos consumidores e não acreditam na fiscalização", disse a secretária de Estado de Proteção de Defesa do Consumidor, Cidinha Campos.

Apenas seis restaurantes vistoriados não apresentaram nenhum irregularidade: o Atelier, na Rua São Bento; o Zaratrusta, na Rua D. Geraldo; o Yakisoba Mix, na Rua Acre; além do Mariam, Monteiros e Biasibetti Grill, os três na Rua do Rosário.

 

Balanço da Operação


Graça Aranha Gourmet (Avenida Graça Aranha): 57kg de frango, carnes e salmão sem prazo de validade determinado.

Nitgrama (Rua Santa Luzia): 46kg e 500g de contra filé, frango, anchova, apresuntado, muçarela e massa folheada sem prazo de validade determinado.

Kilo Express (Rua Santa Luzia): 42kg e 500g de carne, carne seca, arroz, medalhão de carne, apresuntado, champignon, além de 2 caixas de creme de leite e 1 caixa de leite condensado, sem prazo de validade determinado. Foram encontradas bacias co legumes cortados guardadas no chão.

Espadeiro (Rua México): 34kg e 300g de frango, queijo e carnes sem prazo de validade determinado.

Monchique Churrascaria (Rua Visconde de Inhaúma): 22kg e 500g de produtos vencidos, entre lombo e pão. 10kg de muçarela, bacon e champignon sem prazo de validade determinado.

Confeitaria Itajaí (Rua Gonçalves Dias): 11kg de produtos vencidos, entre frango e carnes.

Predilectum (Rua do Rosário): 7kg e 100g de produtos vencidos, entre orelha de porco, pavê e massa de pastel.

Pilão de Pedra (Rua do Acre): 5kg e 500g de tempero e carne e frango picadinhos, além de 2 litros de ketchup, sem prazo de validade determinado. 2kg e 500g de produtos vencidos, entre carnes e massa de pastel. O restaurante não possui torneira de água quente na cozinha, o que é obrigatório por lei.

Tempero do Rosário (Rua do Rosário): 5kg e 280g de arroz cozido, feijoada congelada, camarão, sushi e salmão com aspecto ruim e sem prazo de validade determinado.

Max Sabores (Rua Theophilo Otoni): 4kg e 850g de presunto, muçarela e leite condensado sem prazo de validade determinado.

Pasqualino (Avenida Rio Branco): 4kg e 750g de massas, queijo, língua e presunto sem prazo de validade determinado.

Delight (Avenida Rio Branco): 3kg de queijo, frango e tomate seco sem prazo de validade determinado. 500g de produtos vencidos, entre frango e ricota.

Liberta (Rua Theophilo Otoni): 1kg e 800g de presunto, língua, ovo de codorna sem prazo de validade determinado. 1kg e 600g de produtos vencidos, entre pimenta do reino e tempero para carne.

Kiloquick (Rua Acre): 1kg e 500g de camarão e carne, além de 2 litros de molho de tomate, sem prazo de validade determinado. 6 latas com validade vencida, entre cerveja e água tônica.

La Mole (Avenida Graça Aranha): 1kg e 560g de produtos vencidos, entre peito de peru e beterraba.